Seguidores

07 março 2009

Reprodução dos Sapos! - Muito triste.


Entre tantos bichos que existe... O mais triste é ser sapo.

Vejamos:

O sapo está na lagoa e começa: Uerla!
A “sapa” (isso mesmo, a rã não é a mulher do sapo, são espécies diferentes) responde: Uerla! (traduzindo: Pode vir quente que eu estou fervendo). Os sapos que pertence Anura, "cantam" para delimitar territórios e atrair as fêmeas.
Na garganta dos sapos há uma bolsa que funciona como uma caixa de ressonância sonora, então ela é atraída pela "ladainha" do macho.

Eles precisam de água doce para se reproduzir, devido à estrutura dos ovos e até mesmo no desenvolvimento dos seus “filhotes” na fase larval, formando os populares girinos.

Acredito que na novela Pantanal eles obedecessem a essa norma restrita aos anfíbios... A prainha coisa e tal.

Voltando, uma vez entrando a fêmea no território do macho, ele pula em cima da fêmea dos seus sonhos, louco para fazer amor com a sua sapa só ai ele se da conta de que falta uma coisinha: Sapos não têm pênis.

Véééi... SAPOS NÃO TÊM PÊNIS!

A revolta dele é tanto, que ele abraça a fêmea tão forte, mais tão forte, que os biológos denominaram de amplexo nupcial, que com isso o óvulos da fêmea são liberados, os espermatozóides do macho (só pode ser do macho né? Fêmeas não tem... Dãr!) são liberados sobre os óvulos, na água ocorre a fecundação (externa)... Ele vai para o canto fuma um cigarrinho e tudo vai bem.

Então dos ovos eclodem larvas (girinos) (lembre-se, o desenvolvimento do sapo é indireto) e só depois resultará em sapos adultos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Pow véeeiii da hora o seu texto.
mto hilário :D

Anônimo disse...

como e que voce coloca daah em um texto de biologia

Anônimo disse...

ESSE TEXTO E MUITO LEGAL

Tiago disse...

Gostei da forma escrita.