Seguidores

27 agosto 2009

Meu irmão e a bala soft.


Acredito que o mundo era para ser bem mais populoso, se a bala "Soft" não teria existido. Quem foi criança nos anos 80 sabe muito bem do que digo.



A bala soft era uma bala muito gostosa, ela me faz lembrar de uma hemácia, também conhecida como eritrócito... isso mesmo, redonda com uma invaginação na região central, vocês sabem né, que as hemácias são célula eucariótica, sendo originada a partir dos eritroblastos, na maturação o núcleo foi expelido sendo sintentizado uma grande quantidade de hemoglobina, dando origem a uma célula anucleada repleta de hemoglobina, o que da a cor vermelha ao sangue, isso é importante para nós, pois tal morfologia celular é fundamental para que os gases respiratórios (O2) seja transportado pela nossa circulação, isso faz com que a hemoglobina fique perto da membrana plasmática, por onde se difunde o O2, a pessoa que possui anormalidades na forma das hemácias apresenta sério caso de anemia, a anemia falciforme é um exemplo clássico, toda vez que falo sobre hemácias me vem a bala soft na cabeça. Pois bem, voltando na população terrestre, muitas crianças foram mortas por essa bala (que era muito gostosa) sem contar os que quase morreram, acredito que dava para encher uma cidade, sendo raro alguém não ter um ente querido que quase foi sufocado por essa preciosidade... eu já passei por essa aflição.



Não... Eu não fiquei engasgado com uma não, foi meu irmão caçula.



O muleque quando passou pela "venda" ficou doido ao ver no baleiro as balas softs, fez birra até minha amada mãe comprar para ele, e que diga-se de passagem, fez uma birra maior para não me dar, continuando... Na praça do avião, isso mesmo, aquela do terminal, antes de ter o avião, o muleque foi surpreendido pela danada, como? Por ser uma bala grande e arrendondada, a dita fica presa no céu da boca, ou no interior da garganta, e acredito que a invaginação em seu centro, ajuda a dar uma certa pressão... Eu acho uai? Pergunta para o professor de física... Com isso impedindo do ar passar, e deste modo o muleque engasva, minha mãe gritava, o muleque tossia, minha mãe sacudia, e o muleque ficava vermelho, minha mãe batia nas costas, o muleque roxo, e eu gritava: MEU IRMÃO NÃO PODE MORRER AQUI! MEU IRMÃO NÃO PODE MORRER AQUI!



Então um senhor apareceu e disse:

-Calma menino seu irmão não vai morrer.



Minha preocupação era ele morrer na rua, carregar um morto pelas calçadas, pensa! Deixa para morrer em casa uai!



No entanto minha mãe abraçou-o por trás, e pressionou sem diafragma, aquela membrana que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal, sendo importante para o nosso processo respiratório, aumentando e diminuindo a pressão da nossa caixa torácia, a amada mãe pressionou com tanta força, que a bala saiu com uma velocidade tão monstruosa que por pouco não quebrou o vidro do coletivo. Mas graça ao nossos corruptos governantes a bala soft foi proibida de ser comercializada no Brasil, e a população brasileira continuou a crescer.

3 comentários:

Diogo M disse...

kkk... acabo de comentar com o pessoa aqui do serviço sobre seu comentário... e para minha surpresa (isso porque eu não cheguei a conhecer a bendita [tenho 21 nos...]) todos tem uma história hilária...

Abraços,

Adriano disse...

ja chupei muitas dessas balas... mas nunca engasguei...

virginia disse...

Acredita um dia eu me engasguei no ponto do ônibus a bala não saía nem descia. Até que derreteu e, aff que alívio. Mas era deliciosas!!!